Quedas causam danos físicos e psicológicos em idosos.

Quedas causam danos físicos e também psicológicos em idosos.

 Quedas em pessoas idosas são comuns e aumentam progressivamente com a idade.

Um em cada três idosos cai ao menos uma vez ao ano. Mas, não e normal! E sempre um sinal de alerta de que a saúde pode não estar tão bem. A queda pode significar diminuição das funções fisiológicas (visão, audição e locomoção) ou ainda representar sintomas de alguma patologia especifica. Esses acidentes podem provocar fraturas, traumatismo e até morte. Além disso, afetam a qualidade de vida do idoso.

“O medo de voltar a cair, ou a síndrome pós-queda, é comumente relatado pelos idosos e podem trazer importantes prejuízos emocionais, psicológicos e sociais, como perda da autonomia e independência para as atividades de vida diária, redução de atividades sociais, sensação de fragilidade e insegurança”, afirma o medico João Paulo Bergamaschi, ortopedista do hospital Sírio-Libanês. Portanto a prevenção é fundamental.

Existem fatores que predispõem à queda do idoso e podem ser divididos em dois grupos:

Relacionados às alterações fisiológicas do processo de envelhecimento, às patologias especificas e ao uso de medicamentos. São eles:

Diminuição da visão, diminuição da audição, sedentarismo, fraqueza muscular, falta de equilíbrio ou estabilidade nos movimentos, falta de sensibilidade ou formigamento nos pés, labirintite, osteoporose, artrose, doenças neurológicas (acidente vascular cerebral, doença de Parkinson, doença de Alzheimer e outras).

Relacionados ao ambiente em que o idoso interage, são:

Obstáculos dentro de casa, pisos escorregadios, iluminação inadequada, buracos em ruas e calçadas, calçados inadequados, dentre outros.

Dicas para prevenção de quedas em ambiente domiciliar.

Em casa: procure manter a casa sempre iluminada, instale luz de vigília no corredor, deixe os ambientes com o mínimo de objetos possíveis, assegurando dessa forma espaço livre para caminhar, evite encerar o piso, fique atento aos animais domésticos, pois eles podem nos desequilibrar, instale corrimões nos dois lados das escadas, coloque faixa antiderrapante nos degraus, coloque protetores nas quinas dos moveis, evite prateleiras muito altas ou muito baixas.

Na cozinha: coloque objetos que são mais utilizados nos locais mais baixos e os pouco utilizados nos armários superiores, evite subir em banquinhos e escadas.

No quarto: deixe sempre uma luminária na cabeceira da cama, caso queira levantar a noite, procure utilizar uma cama com altura entre 55cm e 65cm, de forma que quando estiver sentado você consiga apoiar seus pés no chão, mantenha uma cadeira ou poltrona no quarto, assim você poderá se sentar quando for colocar meias, sapatos e calças.

No banheiro: instale um vaso sanitário elevado, utilize pisos antiderrapantes e deixe-os sempre secos, coloque barras de apoio ao lado do vaso sanitário e do box, utilize sempre tapetes antiderrapantes com ventosas.

Atenção:

  • Evite andar apenas de meias pela casa;
  • Procure um sapato que fique firme no pé e não escorregue;
  • Ao se levantar da cama, cadeira ou sofá, equilibre-se primeiro e depois, ande;
  • Faça exercícios físicos;
  • Ao carregar objetos mantenha uma mão livre para se segurar;
  • Tontura é algo frequente entre pessoas idosas, mas não é normal. Se tiver sensação de flutuação, tonteira ou visão turva procure um médico;
  • Se você caiu recentemente, procure um especialista. Uma queda pode ser sinal de que algo não vai bem e a chance de cair novamente e alta;

Fonte: manual de prevenção de quedas do idoso – SESC-SP; jornal agora ed. 20 de setembro 2015.

 

 

 

 

Contato
Rua José Dantas Magalhães Glória, 242
Parque Mandaqui - São Paulo / SP
Cep: 02421-000
(11) 2231-9763
(11) 9.9152-0215
(11) 9.8109-3595
Horário de Atendimento:
das 09:00 h às 17:00 h
Solicite um Orçamento
Um valor é necessário. Um valor é necessário. Um valor é necessário.Formato inválido.